24 de outubro de 2010

adelina, francamente.
acreditou demais em falsas promessas e em migalhas.
agora fica por aí, rastejando.

deita no chão da sala e grita: quero morrer agora.
mas não vai.
seu castigo é essa agonia infinita.

come essas migalhas agora.
come tudo e não reclama.
ao menos você tem migalhas a comer.

Um comentário:

jururu disse...

olhei no espelho e eu era adelina.